Procon fiscaliza preços de gás de cozinha e orienta consumidores

Facebook Whatsapp Twitter
Domingo, 19 de agosto de 2018
Anuncie no Ururau | Contato
Logo

Cidades

Procon fiscaliza preços de gás de cozinha e orienta consumidores

Facebook Whatsapp Twitter Google+

28/05/2018 às 16h40

Divulgação Supcom
Consumidores devem exigir nota fiscal no ato da compra

Compartilhe essa notícia!

Facebook Whatsapp Twitter Google+
Equipes da Superintendência do Proco/Campos prosseguem com fiscalizações com objetivo de coibir a cobrança abusiva de preços, devido à paralisação nacional dos caminhoneiros. Nesta segunda-feira (28/05), os trabalhos estão concentrados em estabelecimentos que comercializam gás de cozinha. Na última semana, o Procon apurou denúncias de aumentos nos preços dos combustíveis.

Nesta semana, o órgão voltou as atenções para a venda gás de cozinha, visto que houve desabastecimento nos revendedores de toda cidade e há uma série de denúncias sobre o valor cobrado. Segundo o superintendente do Procon, Douglas Leonard, alguns comércios serão autuados por cobrarem valor excessivo. 

“Recebemos muitas denúncias e estaremos calculando a média de valor no gás de cozinha buscando o histórico do comércio. Fazemos o levantamento da nota de entrada e saída do produto, e a partir daí comparamos os valores de comércio de antes e depois da escassez de transporte e veremos quem está se aproveitando da situação”, disse.

CONTINUA DEPOIS DO INFORMATIVO

A orientação é para que os consumidores entrem em contato com o Procon sempre que constatarem cobranças abusivas, através do telefone (22) 98175 2561 e do aplicativo Meu Procon. No ato da compra, o consumidor deve solicitar nota fiscal se houver, efetivamente, o consumo o produto para apresentar ao órgão fiscalizador.  A sede do Procon fica na Avenida José Alves de Azevedo, 236, Centro. 

NOTA DO SINDIGÁS

O Sindigás informa que algumas praças ainda possuem um estoque mínimo de GLP, apesar da situação caótica do abastecimento do produto em todo o Brasil. Por ele ser armazenável, tem a vantagem de permitir ao consumidor contar com uma reserva, em média, de até 22 dias. Grevistas e forças policiais estão permitindo apenas a passagem de caminhões com GLP granel para abastecer serviços essenciais, como hospitais, creches, escolas e presídios. Porém, caminhões com botijões de 13kg, 20kg, 45kg vazios ou cheios com nota fiscal a caminho das revendas não são reconhecidos pelos grevistas como abastecimento de um serviço essencial, o que é um equívoco, pois o produto nessas embalagens também pode ser destinado ao abastecimento de serviços essenciais. O setor de GLP trabalha com uma logística reversa, na qual é imprescindível o retorno dos botijões vazios às bases para serem engarrafados. O Sindigás reitera que há gás nas bases. O problema no abastecimento deve-se às dificuldades de escoamento do produto pelas rodovias do país. É necessário que grevistas e as autoridades que atuam nesse momento de crise, como Polícia Rodoviária Federal, ANP, Exército, entre outros atores, compreendam que o GLP é um produto essencial para o bem-estar da população e que permitam o trânsito das carretas a granel e dos caminhões com os botijões, sejam vazios ou cheios.

Fonte: Supcom


Aviso importante: a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash etc) do Portal Ururau não é permitida sem autorização e os devidos créditos e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismo de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com o Portal Ururau para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato através do email: parceria@ururau.com.br
Logo
Todos os direitos reservados - Ururau Copyright 2008 - 2016 Desenhado e programado por Jean Moraes

Poxa! Você usa bloqueadores de anúncios :(

Produzir matérias com qualidade demanda uma equipe competente e comprometida com o bom jornalismo. A publicidade é o único meio de viabilizar e manter nossos serviços ofertados gratuitamente aos nossos leitores. Colabore conosco adicionando o http://www.ururau.com.br como exceção de sites permitidos.

Clique aqui e saiba como adicionar o Ururau como site permitido!

Já fiz isso Fechar aviso