Cimento ecológico utiliza restos de celulose

Facebook Whatsapp Twitter
Sábado, 24 de agosto de 2019
Anuncie no Ururau | Contato
Logo

Rural

Cimento ecológico utiliza restos de celulose

Facebook Whatsapp Twitter Google+

21/03/2019 às 18h35

Portal do Agronegócio
"Os materiais produzidos são altamente sustentáveis, menos poluentes e a sua produção é rentável"

Compartilhe essa notícia!

Facebook Whatsapp Twitter Google+
O Departamento de Engenharia de Materiais e Cerâmica (DEMaC) da Universidade de Aveiro está desenvolvendo o que chamaram de cimento “mais ecológico do mundo”, que utiliza restos de celulose que são desperdiçados em indústrias. De acordo com eles, em entrevista para o portal Vida Rural, o novo eco-cimento reduz drasticamente o uso de recursos naturais.

Além disso, ele pode ser produzido à temperatura ambiente, diminuindo consideravelmente o consumo de energia. Segundo o pesquisador Manfredi Saeli, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do produto, as chamadas argamassas “ geopoliméricas são uma alternativa válida às produzidas com cimento Portland pois têm propriedades que as tornam adequadas para diversas aplicações na construção”.

Nesse contexto, ele garante que a qualidade não deixa nada a desejar em relação ao cimento que é comumente encontrado no mercado atual. Outro ponto citado novamente foi o fator ecológico do produto, que promete agredir o mínimo possível o meio ambiente, sendo bastante resistente.

CONTINUA DEPOIS DO INFORMATIVO

“Os materiais produzidos são altamente sustentáveis, menos poluentes e a sua produção é rentável. Para além disso, os geopolímeros endurecem rapidamente, exibem uma matriz estável e uniforme, um desempenho mecânico adequado e uma excelente resistência a produtos químicos e ao envelhecimento. Tudo isso torna essa nova classe de cimentos uma alternativa ao cimento Portland válida e sustentável”, completa.

Para finalizar, os investigadores acreditam que este material poderá ser usado como substituto dos cimentos tradicionais e com níveis de desempenho idênticos. Participaram do projeto também os pesquisadores Rui Novais, Paula Seabra e João Labrincha.

Fonte: Portal do Agronegócio


Aviso importante: a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash etc) do Portal Ururau não é permitida sem autorização e os devidos créditos e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismo de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com o Portal Ururau para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato através do email: parceria@ururau.com.br
Logo
Todos os direitos reservados - Ururau Copyright 2008 - 2016 Desenhado e programado por Jean Moraes

Poxa! Você usa bloqueadores de anúncios :(

Produzir matérias com qualidade demanda uma equipe competente e comprometida com o bom jornalismo. A publicidade é o único meio de viabilizar e manter nossos serviços ofertados gratuitamente aos nossos leitores. Colabore conosco adicionando o http://www.ururau.com.br como exceção de sites permitidos.

Clique aqui e saiba como adicionar o Ururau como site permitido!

Já fiz isso Fechar aviso