24 de fevereiro de 2013 · 08:00

COMPARTILHE


REDES

RSS

URURAU RURAL - Cultivo de tomate

Monitoramento climático reduz 42% do uso de agrotóxicos em lavouras

Pesagro-Rio instalou equipamentos em 10 propriedades em Nova Friburgo e Sumidouro
Divulgação

Pesagro-Rio instalou equipamentos em 10 propriedades em Nova Friburgo e Sumidouro

A redução de 42% no uso de agrotóxicos em lavouras de tomate da Região Serrana, nos últimos quatro meses, é um dos resultados positivos já obtidos com o trabalho de monitoramento climático implementado em Nova Friburgo e Sumidouro. A iniciativa faz parte de um projeto de pesquisa da Pesagro-Rio (empresa vinculada à Secretaria Estadual de Agricultura e Pecuária), financiado pela Faperj (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro) e em parceria com a empresa privada Olearys.

Equipamentos instalados nas lavouras colhem informações sobre a quantidade de chuva, temperatura, umidade relativa do ar e o molhamento das folhas, tempo médio em que a vegetação permanece com água na superfície. Os dados são enviados a cada 15 minutos para um servidor em São Paulo e, após processados, ficam disponíveis para os agricultores familiares na internet. 

"Agora está mais fácil trabalhar. Com o acompanhamento pela internet só fazemos a aplicação de produtos realmente necessária. Quando o clima está propício para que a planta tenha uma requeima ou uma 'pinta preta', entramos com o defensivo na quantidade e hora certas. Assim estamos conseguindo colher um tomate mais saudável para o consumo", contou a produtora rural Sônia Maria Veiga, que já acompanha sua lavoura há dois meses.

Inicialmente, dez 10 plataformas - que cobrem um raio de cinco quilômetros cada - foram instaladas. Outras 10 deverão entrar em funcionamento em propriedades de Paty do Alferes, Vassouras e Duas Barras a partir de abril, de acordo com o engenheiro agrônomo e presidente da Pesagro-Rio, Silvio Galvão. O projeto contará também com o apoio da Emater-Rio no gerenciamento das novas unidades. "Através do monitoramento, estamos seguindo um modelo clássico de controle de doenças, correlacionando as condições climáticas com os níveis de infecção favoráveis à sua ocorrência. A partir daí, disparamos o alarme para o produtor através de e-mail, torpedo, telefonema ou fax", explicou o pesquisador. 

Para o secretário Christino Áureo, a sustentabilidade não pode ser apenas uma palavra da moda, tem que se traduzir em ações. "Nada melhor que a parceria com a iniciativa privada que atua no setor e produtores rurais para que possamos alcançar os resultados que estamos conquistando", acrescentou.

Ao reduzir em 42% a utilização de defensivos agrícolas, além dos benefícios para a saúde e meio ambiente, o produtor também economiza por safra, a cada mil pés de tomate, R$ 300 com a compra dos produtos e 4.800 litros de água doce limpa, já que não precisa utilizar este recurso hídrico na diluição do agrotóxico para pulverizar a lavoura.

Segundo o agrônomo da Olearys, Lucas Baroni, o monitoramento possibilita economizar tempo e dinheiro, além de beneficiar o meio ambiente, na medida em que reduz a poluição do solo, água e ar e a saúde do produtor e consumidor.

Na propriedade do produtor Elson da Silva, em quatro meses, seguindo o ciclo da cultura, houve uma redução de até 60% no uso de agrotóxicos nas lavouras onde os equipamentos foram instalados. O custo total da produção também despencou nas plantações de tomate monitoradas pelo sistema. Houve queda de mais de 50% nos gastos em relação ao cultivo tradicional. "Vai fazer quase três meses de plantio e só fizemos seis aplicações. Se tivesse sem o equipamento aqui, já teríamos feito umas 18, mais ou menos", disse.

Ainda segundo o presidente da Pesagro-Rio, o projeto de monitoramento, que foi apresentado a pequenos agricultores familiares, vem despertando o interesse de médios e grandes produtores que têm participado dos dias de campo nas lavouras para aprender sobre a nova tecnologia. 


Postado por: Valquíria Azevedo

Fonte: Redação / Ascom

Siga: twitter.com/siteururau

Fale conosco, clique aqui!

COMPARTILHE


Publicidade

Publicidade

Cotações

VALORES CAMPOS/RJ
Campus Dr. Leonel Miranda - UFRRJ

AÇÚCAR
23/03/2015
Valor R$ 61,59
Var./Dia: - 0,15
* Sacos de 50kg, com impostos, Posto Veículo Usina (PVU).

* CANA-DE-AÇÚCAR

 fevereiro/15 - 1ª Quinzena
- Valor ATR (R$/Kg)
R$ 0,5034
- Valor (R$/t)
R$ 56,2477
- Var./Dia: **  2,35

* Valor básico esteira
** Variação quinzenal
(Convênio UFRRJ-FAPUR/ASFLUCAN/Unidades Industriais do Estado do Rio de Janeiro).
---------------------
VALORES SÃO PAULO

AÇÚCAR CRISTAL

23/03/2015

Preço SP
- Valor R$ 51,06
- Var./Dia: - 0,43%
* por sc de 50Kg, com impostos, sem frete.

---------------------
BEZERRO

23/03/2015
- Valor R$ 1.382,42
- Var./Dia: - 0,33%
* valor por unidade - descontado o prazo de pagamento pela taxa CDI.
---------------------
BOI  
23/03/2015
- Valor R$ 146,48
- Var./Dia:0,64%

* por arroba, descontado o Prazo de Pagamento pela taxa CDI/CETIP.
---------------------
CAFÉ
23/03/2015
- Valor R$ 457,53
- Var./Dia: - 2,82%
* por saca de 60kg líqüido, bica corrida, tipo 6, bebida dura para melhor, valor descontado o Prazo de Pagamento pela taxa da NPR, posto na cidade de São Paulo.
---------------------
FRANGO
- Resfriado
23/03/2015
- Valor R$ 3,41
- Var./Dia: - 2,01%
* Atacado, média (R$/kg) das regiões de São Paulo, São José do Rio Preto e Descalvado.

- Congelado
23/02/2015
- Valor R$ 3,36
- Var./Dia:  - 2,89%
* Atacado, média (R$/kg) das regiões de São Paulo, São José do Rio Preto e Descalvado.
---------------------
ETANOL
- Hidratado Combustível
16/03 à 20/03/2015
R$ 1,2191/litro
* Sem frete, sem impostos

- Anidro Combustível
16/03 à 20/03/2015

R$ 1,3575/litro
* Sem frete, sem impostos

- Hidratado (Outros Fins)
16/03 à 20/03/2015
R$ 1,2705/litro
* Sem frete, sem impostos
---------------------
MILHO
23/03/2015
- Valor R$
29,44
- Var./Dia: - 0,78%
* À vista por saca de 60 kg, descontando o prazo de pagamento pela taxa CDI/CETIP.
---------------------
SUÍNO
23/03/2015
- Valor média R$ 3,69

- Var./Dia: 3,61
- Valor mín.R$ 3,75
- Valor máx. R$  - 0,09
* Preço recebido pelo produtor R$/kg sem ICMS.
---------------------
TRIGO
(Ref. Estado PR)06
23/03/2015
- Valor R$
 623,61
- Var./Dia: 2,33
* Preço por tonelada, mercado disponível, à vista (valor a prazo é descontado pela taxa NPR).

FONTE: Cepea

Publicidade

Ururau

Ururau © Copyright 2008 - 2018
Criado em Novembro/2008 • Novo Site 01 de Janeiro/2013
Contato: (22)9988-24858 / (22)2722-2468
Contato Redação: ururau@ururau.com.br • Contato Comercial: comercial@ururau.com.br
Fale conosco, clique aqui!

Buscas

ByChucas.com