Endometriose na adolescência: como diagnosticar e tratamento

Facebook Whatsapp Twitter
Sábado, 06 de junho de 2020
Anuncie no Ururau | Contato
Logo

Plantão Ururau

Homem morre em grave acidente na RJ 216, em Campos

Um homem, ainda não identificado, morreu após se envolver em um grave acidente na RJ 216, próximo ao Parque Imperial, em Campos. ... continuar lendo

Saúde

Endometriose na adolescência: como diagnosticar e tratamento

Facebook Whatsapp Twitter

08/10/2019 às 13h50 Aline Mendes

Reprodução
Comum em mulheres adultas, a doença que afeta o útero atinge aproximadamente 15% das adolescentes; especialista explica os sintomas e como tratar.

Compartilhe essa notícia!

Facebook Whatsapp Twitter

Estima-se que, aproximadamente, 15% das adolescentes têm endometriose, segundo estudos internacionais. A prevalência da doença cresce de acordo com o avançar da idade. No entanto, em casos menos frequentes, devido a malformações uterinas que obstruem o fluxo do sangue para fora do organismo, a enfermidade pode surgir até mesmo em mulheres que nunca menstruaram.

Embora a maioria dos casos seja leve, os registros de endometriose profunda em adolescentes têm crescido. Uma das hipóteses tem a ver com os poluentes ambientais. Filhas de mulheres com endometriose têm mais chance de ter a doença, portanto precisam de atenção redobrada.

Sintomas de endometriose na adolescência

CONTINUA DEPOIS DO INFORMATIVO

O principal sinal da endometriose em adolescentes é a cólica menstrual, que costuma ser mais frequente e geralmente muito intensa: 70% das adolescentes com dores resistentes a analgésicos comuns apresentam o diagnóstico da doença, confirmado pelo exame de laparoscopia.
Dores fora do ciclo menstrual também podem ocorrer. Já o incômodo durante as relações sexuais e a infertilidade, comuns em mulheres com um pouco mais de idade, são menos frequentes. Sobre a dificuldade de engravidar, é importante fazer a ressalva de que a maioria das jovens não tenta ter filhos nessa fase da vida - mas este também pode ser um sinal a se considerar.
Como diagnosticar endometriose
Apesar de a endometriose ser definitivamente confirmada apenas após biopsia na cirurgia, o médico pode ter um forte diagnóstico clínico a partir do relato da paciente e de um exame ginecológico cuidadoso.

Caso o profissional ache necessário, ele também pode recorrer a outros recursos, a exemplo de exames de imagem com preparo especializado, em particular a ressonância magnética.

A dosagem do marcador CA-125 no sangue durante o período menstrual é outro recurso, mas ele só ajuda se os níveis estiverem elevados. Valores normais, no entanto, não afastam a doença.

Descobrir a endometriose precocemente é fundamental para evitar o agravamento do quadro, não só no que diz respeito à intensidade das dores, como para não comprometer órgãos próximos aos focos da doença.

CONTINUA DEPOIS DO INFORMATIVO

Apesar disso, o tempo médio até a detecção pode chegar a 10 anos, não somente no Brasil, mas também no restante do mundo. Daí muitas adolescentes sofrerem com os sintomas sem saber que estão com a doença - que costuma ser tratada já na idade adulta.

Os sintomas, por serem comuns aos de outros problemas de saúde, contribuem para a demora do diagnóstico. Além disso, a cultura de que cólicas são normais e a não valorização das queixas apresentadas nos consultórios também atrapalham na descoberta precoce da doença.
Tratamento para endometriose
A conduta inicial em adolescentes, na maior parte das vezes, é a prescrição de pílula anticoncepcional de uso contínuo, para interromper a menstruação, e de analgésicos comuns.

Caso não sejam suficientes, são indicadas a videolaparoscopia ou a cirurgia robótica. Ambos os procedimentos são minimamente invasivos, bastante eficazes e seguros. A videolaparoscopia, muito usada para o diagnóstico, hoje é a mais usada no tratamento de endometriose.

Os exercícios físicos também ajudam a liberar substâncias que reduzem a dor, como a beta-endorfina. Praticá-los regularmente é extremamente benéfico para quem tem endometriose.

CONTINUA DEPOIS DO INFORMATIVO

Uma alimentação inadequada também pode estimular respostas inflamatórias no organismo e contribuir para o desenvolvimento e o agravamento da endometriose. Portanto, manter uma dieta equilibrada é fundamental e quanto mais cedo o hábito for iniciado, maiores serão os benefícios ao longo da vida.

Fonte: Minha Vida

NOVIDADE!

Clique aqui e acesse o mais novo canal de Podcasts do Portal Ururau. Política, Economia, Esportes, Games, Inovação e muito mais você encontra no Ururau Podcast.

Estamos no Spotify, Apple Podcast, Google Podcast e Deezer. Assine já!



Aviso importante: a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash etc) do Portal Ururau não é permitida sem autorização e os devidos créditos e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismo de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com o Portal Ururau para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato através do email: parceria@ururau.com.br
Logo
Todos os direitos reservados - Ururau Copyright 2008 - 2016 Desenhado e programado por Jean Moraes

Poxa! Você usa bloqueadores de anúncios :(

Produzir matérias com qualidade demanda uma equipe competente e comprometida com o bom jornalismo. A publicidade é o único meio de viabilizar e manter nossos serviços ofertados gratuitamente aos nossos leitores. Colabore conosco adicionando o https://www.ururau.com.br como exceção de sites permitidos.

Clique aqui e saiba como adicionar o Ururau como site permitido!

Já fiz isso Fechar aviso