Fiscalização do TRE/RJ no campus UFF de Campos gera polêmica nas redes sociais

Facebook Whatsapp Twitter
Segunda-feira, 19 de agosto de 2019
Anuncie no Ururau | Contato
Logo

Cidades

Fiscalização do TRE/RJ no campus UFF de Campos gera polêmica nas redes sociais

Durante ação foram apreendidos 470 panfletos de duas candidatas

Facebook Whatsapp Twitter Google+

14/09/2018 às 17h46 14/09/2018 às 18h01 Redação

Divulgação Redes Sociais
A alegação é de que os agentes do TER ameaçaram estudantes e professores de prisão, arrombaram a sala do DACOM

Compartilhe essa notícia!

Facebook Whatsapp Twitter Google+
Uma fiscalização de campanha eleitoral irregular no campus da Universidade Federal Fluminense (UFF), no final da tarde de quinta-feira (13/09), teve grande repercussão das redes sociais de alunos e instituições ligadas à classe docente que questionaram a atuação dos fiscais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RJ). Durante ação foram apreendidos 470 panfletos da candidata Jandira Feghali (PCdoB) ao cargo de deputada federal e da candidata Walkíria Nictheroy (PCdoB) ao cargo de deputada estadual.

O TRE/RJ explica que após a equipe de fiscalização ter a sua entrada no local impedida por funcionários da instituição, o juiz eleitoral Ralph Machado Manhães Júnior, da 129ª Zona Eleitoral (ZE), se dirigiu à universidade para garantir que a operação fosse realizada.  Além dos panfletos apreendidos, alguns alunos usavam adesivos, mais conhecidos como “praguinhas”, que inclusive beneficiavam outros candidatos. A atuação da fiscalização foi motivada por três notícias de irregularidades recebidas pelo sistema e-Denúncia na tarde de ontem.

O Site Ururau tentou contato com o campus da UFF, mas nossas ligações não foram atendidas. A Associação de Docentes da Universidade Federal Fluminense (Aduff), por meio de nota  de repúdio disse que “Os agentes do TRE ameaçaram estudantes e professores de prisão, arrombaram a sala do DACOM [Diretório Acadêmico Conceição Muniz], revistaram pertences e apreenderam documentos pessoais, além de retirarem à força adesivos colados nas roupas de estudantes e tentar impedir via intimidação de que os adesivos individuais sejam usados dentro do espaço universitário. O episódio, além de abuso de autoridade, também é uma violação flagrante do princípio de autonomia universitária, previsto na Constituição Brasileira”.

CONTINUA DEPOIS DO INFORMATIVO

Outra postagem disse “Ontem, no campus da UFF Campos, vivemos um pesadelo. O pesadelo, o sonho tenebroso, é real. Por isso mais assustador. Não apenas pelo ato truculento da face estúpida da Lei, a da Injustiça brasileira mas pela estupidez do ódio que corrói quem odeia mais ainda  que o odiado. (...) Estou profundamente  assustada e triste mas, como o "homem do leme" do poema de Fernando Pessoa, tremi   mas reprendi o leme. O monstrengo não  dorme. Obrigada, Professor Helio de Freitas Coelho, pelas aulas de falar e ser”.

O senador Lindbergh Farias, também usou a rede social para falar sobre o assunto: “Relato de professora da UFF revela um show de autoritarismo e arbitrariedade do TRE e da PF em Campos: motivados por uma ‘denúncia anônima’ de campanha ilegal dentro da faculdade, policial arromba com um chute a sala do Centro Acadêmico e abre o armário de uso dos estudantes”. Apesar de ser sido citada na publicação do senador, a Polícia Federal informou que não participou a ação.  

Quem também se posicionou sobre o ocorrido, através de nota de repúdio, foi a Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Aduenf). “Repudiamos o abuso de autoridade dessa ação e a tentativa de instituição da ‘Escola com Mordaça’ no ambiente universitário. Manifestamos, ainda, nossa solidariedade à comunidade acadêmica da UFF Campos e ao Diretor Roberto Rosendo e ao Professor Hélio Coelho, diretamente atingidos pela arbitrariedade judicial. Não aceitaremos a violação da autonomia universitária e a repressão ao exercício das liberdades políticas duramente conquistadas com a resistência à ditadura empresarial-militar instituída pelo Golpe de 1964 e garantidas pela Constituição!”, diz trecho da nota.

 De acordo com o art. 37 da Lei 9.504/97, "Nos bens cujo uso dependa de cessão ou permissão do poder público, ou que a ele pertençam, e nos bens de uso comum, inclusive postes de iluminação pública, sinalização de tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus e outros equipamentos urbanos, é vedada a veiculação de propaganda de qualquer natureza, inclusive pichação, inscrição a tinta e exposição de placas, estandartes, faixas, cavaletes, bonecos e assemelhados".

CONTINUA DEPOIS DO INFORMATIVO

O TRE/RJ informou que o relatório da operação será encaminhado à Procuradoria Regional Eleitoral, à qual compete ajuizar eventual ação, se entender cabível. O órgão ressalta que é expressamente vedada toda e qualquer propaganda eleitoral em prédios públicos, como é o caso da UFF, estando sujeitos às penalidades legais, além dos candidatos e partidos, também os diretores e administradores dessas instituições ou órgãos públicos, o que pode, inclusive, caracterizar conduta criminosa.

Fonte: Ururau


Aviso importante: a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash etc) do Portal Ururau não é permitida sem autorização e os devidos créditos e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismo de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com o Portal Ururau para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato através do email: parceria@ururau.com.br
Logo
Todos os direitos reservados - Ururau Copyright 2008 - 2016 Desenhado e programado por Jean Moraes

Poxa! Você usa bloqueadores de anúncios :(

Produzir matérias com qualidade demanda uma equipe competente e comprometida com o bom jornalismo. A publicidade é o único meio de viabilizar e manter nossos serviços ofertados gratuitamente aos nossos leitores. Colabore conosco adicionando o http://www.ururau.com.br como exceção de sites permitidos.

Clique aqui e saiba como adicionar o Ururau como site permitido!

Já fiz isso Fechar aviso