Mamografia: Estado do Rio tem o pior cenário dos últimos anos

Facebook Whatsapp Twitter
Sábado, 22 de setembro de 2018
Anuncie no Ururau | Contato
Logo

Saúde

Mamografia: Estado do Rio tem o pior cenário dos últimos anos

Facebook Whatsapp Twitter Google+

13/04/2018 às 11h10

Extra
O Rio de Janeiro tem o nono pior índice de cobertura mamográfica do país, sendo o mais mal colocado do Sudeste

Compartilhe essa notícia!

Facebook Whatsapp Twitter Google+
 A porcentagem de mulheres entre 50 e 69 anos, atendidas pelo SUS, que fizeram mamografia em 2017 foi a menor dos últimos cinco anos no estado do Rio. Estudo da Rede Brasileira de Pesquisa em Mastologia, em parceria com a Sociedade Brasileira de Mastologia, analisou dados do Ministério da Saúde e verificou que eram esperadas 1,1 milhão de mamografias para atender a população alvo, mas foram realizadas apenas 164 mil, uma cobertura de 14,5%, voltando a parâmetros de cinco anos atrás e bem abaixo dos 70% recomendados pela Organização Mundial de Saúde.

O Rio de Janeiro tem o nono pior índice de cobertura mamográfica do país, sendo o mais mal colocado do Sudeste. O índice nacional também caiu. De acordo com a pesquisa, para atender as mulheres na faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde para fazer o rastreamento do câncer de mama, deveriam ter sido realizadas 11,5 milhões de mamografias no país. Mas apenas 2,7 milhões foram feitas, uma cobertura de 24,1%.

 O Brasil tem quase cinco mil mamógrafos. Não faltam equipamentos, mas gestão. Cerca de 5% dessas máquinas estão fora de uso, uma parte delas também não funciona o período integral porque faltam técnicos, faltam radiologistas para dar laudo. Quem paga por essa desorganização são as mulheres — diz o coordenador da pesquisa, Ruffo de Freitas Júnior, professor da Universidade Federal de Goiás e presidente do Conselho Deliberativo da Sociedade Brasileira de Mastologia.

CONTINUA DEPOIS DO INFORMATIVO

A demora na marcação de exames acaba empurrando muitas mulheres para as clínicas privadas.

“ Muitas pagam pelo exame para encurtar a espera e chegar logo ao tratamento” diz o médico, citando uma pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), um centro de referência, que revelou o tempo médio entre os sintomas iniciais e a primeira consulta com o mastologista em sua unidade: 252 dias.

Para sociedade médica, exame deve começar aos 40

Enquanto o Ministério da Saúde recomenda que a mamografia de rotina seja feita a partir dos 50 anos, a cada dois anos, a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) preconiza a realização do exame anualmente para todas as mulheres a partir dos 40 anos.

CONTINUA DEPOIS DO INFORMATIVO

“Isso significa que, se fôssemos ampliar a abrangência do estudo, o cenário é ainda bem mais complexo, desesperador” diz o presidente da SBM, Antônio Frasson, acrescentando que o acesso é uma das principais bandeiras que os mastologistas têm levantado nos últimos anos.

Fonte: Extra


Aviso importante: a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash etc) do Portal Ururau não é permitida sem autorização e os devidos créditos e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismo de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com o Portal Ururau para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato através do email: parceria@ururau.com.br
Logo
Todos os direitos reservados - Ururau Copyright 2008 - 2016 Desenhado e programado por Jean Moraes

Poxa! Você usa bloqueadores de anúncios :(

Produzir matérias com qualidade demanda uma equipe competente e comprometida com o bom jornalismo. A publicidade é o único meio de viabilizar e manter nossos serviços ofertados gratuitamente aos nossos leitores. Colabore conosco adicionando o http://www.ururau.com.br como exceção de sites permitidos.

Clique aqui e saiba como adicionar o Ururau como site permitido!

Já fiz isso Fechar aviso